Estas histórias terríveis com lentes de contato mostram por que você deve tirá-las à noite

Quem usa lente de contato sabe que é preciso ter uma boa higiene com elas. Isso inclui retirá-las à noite e lavá-las com uma solução de limpeza de esterilização. Mas isso não significa que todos sigam o conselho.

• Fim dos óculos? Experimento científico utiliza colírio com nanopartículas para corrigir miopia
• 23 fatos sobre seus olhos (e o que pode dar errado com eles)

Para aqueles que precisam de um lembrete mais visceral sobre por que esses hábitos são tão importantes, aqui estão algumas histórias terríveis sobre o que pode acontecer caso você não limpe suas lentes. Já fique avisado: tem umas coisas feias aqui.

As histórias – seis, no total – foram coletadas por médicos oftalmologistas e publicadas pela primeira vez em um relatório dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA. Agora, a série de casos foi republicada na edição de janeiro de 2019 da revista Annals of Emergency Medicine, juntamente com um comentário de especialistas.

Os olhos das pessoas envolvidas ficaram bem ferrados, em grande parte devido à má higiene das lentes de contato, especialmente quando as utilizaram por longos períodos de tempo ou dormiram com elas.

A primeira história é de homem de 34 anos que usava lentes de contato gelatinosas há 17 anos. Ele não curtia muito tirá-las e contou que dormia com as lentes de três a quatro noites por semana e até mesmo nadava usando-as. O homem acabou desenvolvendo uma infecção no olho esquerdo que deixou sua visão turva; dois meses de medicamentos antimicrobianos convencionais não foram o suficiente para ajudá-lo.

Depois de mais testes, descobriu-se que o culpado era, na verdade, o protozoário Acanthamoeba, que pode entrar furtivamente no olho através de água da torneira contaminada.

As infecções oculares causadas por amebas como a Acanthamoeba podem ser incrivelmente difíceis de eliminar. O homem precisou usar um colírio anti-séptico durante seis meses. No começo do tratamento, era preciso aplicá-lo a cada hora. A visão do seu olho esquerdo se estabilizou depois, mas ele precisou passar a usar lentes de contato rígidas, em vez das gelatinosas.

Mesmo assim, ele se saiu melhor do que um homem de 57 anos que visitou o pronto-socorro relatando dificuldade de enxergar em ambos os olhos, além de uma dor aguda. Ele disse que não limpava ou substituía regularmente suas lentes gelatinosas e, antes da ida ao médico, as tinha usado por duas semanas seguidas. Ambos os olhos estavam infectados com bactérias, mas a córnea – a camada transparente que reveste a frente do olho – da vista direita estava tão ferida e perfurada que ele precisava de um enxerto para recuperar a visão.

O caso acima não é o pior. Talvez a história mais horripilante seja a de de um homem de 59 anos que usou suas lentes de contato gelatinosas por dois dias seguidos em uma viagem de caça; no terceiro dia, ele sentiu dor no olho esquerdo.

Depois de visitar o médico, foi diagnosticado um arranhão em uma das córneas; o tratamento consistia na aplicação de colírio e lentes de contato especiais para ajudar na recuperação. Os sintomas só pioraram, até que um dia, depois de sair do chuveiro e limpar os olhos com uma toalha, ele “ouviu um estalido e sentiu uma sensação dolorosa no olho esquerdo”.

Um exemplo típico de como fica um olho quando a córnea infecciona. Foto: Deborah S. Jacobs, Jia Yin/CDC

Quando chegou ao oftalmologista, descobriu-se que ele tinha um grande buraco na córnea. Ele precisava de um enxerto de córnea urgente para evitar que seu olho perdesse a integridade. Felizmente, depois de tomar antibióticos e fazer uma cirurgia de catarata, sua visão se recuperou bem e ficou perto do normal.

Outras três pessoas, felizmente, não chegaram a ter casos tão sérios. Uma menina de 17 anos desenvolveu uma cicatriz permanente em sua córnea direita depois de dormir com lentes; uma mulher de 34 anos teve uma infecção e contou que não ia ao oftalmologista há cinco anos (em vez disso, ela enviava sua receita pela internet); e um menino de 18 anos ficou com os olhos cheios de bactérias por dormir com lentes coloridas, além de ter ganhado uma cicatriz na córnea.

Essas histórias representam o pior que pode acontecer caso as pessoas não cuidem bem de suas lentes. De qualquer modo, quem usa lentes tem mais chances de desenvolver infecções oculares e outros problemas relacionados. Esse risco pode definitivamente aumentar se você não deixar a higiene das lentes em dia ou se não visitar o oftalmologista regularmente.

Três dos seis casos envolveram pessoas que compraram suas lentes sem uma prescrição válida, e uma pessoa teve uma infecção por causa de lentes de contato coloridas.

Normalmente, as prescrições de lentes de contato precisam ser refeitas a cada ano ou dois, dependendo de como está a visão do paciente. E essas visitas ao oftalmologista, segundo os autores, podem “servir como oportunidades para reeducação sobre práticas seguras de uso e cuidados com as lentes”.

“Dormir com lentes é um dos comportamentos mais arriscados e mais comumente relatados por usuários de lentes de contato”, disse Jon Femling, principal autor do relatório e médico de emergência da Universidade do Novo México, em um comunicado. “Se você quiser evitar infecções e evitar uma viagem à emergência, o cuidado adequado com os olhos é uma obrigação”.

Esse é um bom conselho, com certeza.

[Annals of Emergency Medicine]

Leave a reply

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>